Immobile Arquitetura

Conhecimento

Análises para o sucesso

Em meio aos avanços tecnológicos e a dinâmica nas novas formas de distribuição de produtos e serviços, acompanhei nos últimos dias o lançamento e todo o sucesso da série “Stranger Things”. Produzida e distribuída pela Netflix, o serviço de streaming pode ser entendido como uma nova forma de distribuição de filmes e séries pela internet. Mais uma vez, vejo como o nosso mercado imobiliário tem de aprender com sucessos de novos produtos e serviços, com o aperfeiçoando o entendimento da dinâmica e entendimentos do passado.

Bom, resolvi escrever após uma teoria lançada na internet, e bem fundamentada, que o sucesso do seriado vem de inúmeras análises feitas pela empresa Netflix, quanto aos filmes mais vistos e com maior relevância na década de oitenta. Segundo a teoria, através de algoritmos a empresa conseguiu identificar o que atrai a atenção dos expectadores nestes filmes e que poderiam servir de referência para novas produções como “Stranger Things”. Em outras palavras, a empresa consegue identificar os pontos fortes de produtos, no caso filmes passados, tornando essa identificação pontos chaves de referência para a nova produção. Desta forma, permite uma ligação afetiva aos elementos da nova série em relação ao que foi sucesso com o público no passado.

Diante de tal teoria, pude discorrer o pensamento de que o que foi feito, foi uma pesquisa por referências de sucesso, uma identificação do que o público alvo demanda quanto ao que já foi aceito e pode ser repetido como formula de sucesso. Será que esta prática não nos alerta mais e mais de que precisamos aprimorar o desenvolvimento de novos produtos imobiliários através das referências? Mesmo que passadas, aliando agora com novas técnicas e inovações na área de identificação de produtos. 

Ainda, aliado à busca por melhorias remetendo ao passado, estudei na faculdade algo que sempre tento entender e avaliar quanto ao desenvolvimento de novos produtos. Seria a sigla APO, denominada como Avaliação Pós Ocupação, onde através de avaliações, como o próprio nome diz, ou uso dos ocupantes, poderíamos tirar proveito de melhorias nos traçados urbanos, ocupações arquitetônicas e aprimoramentos de usos de edificações, por exemplo. E somando-se a APO de alguns empreendimentos a referências de sucesso, poderíamos tirar proveito para redescobrir elementos e soluções arquitetônicos para nossos produtos imobiliários. E ainda mais, nossos incorporadores poderiam dar início a buscas junto aos seus clientes (moradores de seus empreendimentos), quais as melhorias eles desejam, quais os pontos de atração de sua moradia. Possibilitando assim, identificar quais pontos fundamentais e decisivos foram atribuídos à escolha destes imóveis, já entregues e ocupados.

Acredito que já falei em artigos anteriores a importância da pesquisa junto aos clientes, buscando identificar o que eles desejam. E hoje, reforço que as pesquisas podem e devem ir além, questionando o que levou o cliente a escolher determinado produto. Será que escolhas como quantidade de quartos, fachada do prédio, tipos de esquadrias, acabamentos, lazer e outros itens, não poderiam destacar-se em meios aos tradicionais pontos fortes identificados em pesquisas tradicionais, que seriam localização e condições de pagamento? E sinceramente, será que até a quantidade de unidades em um único empreendimento não pode ser um ponto a ser identificado em pesquisas? Será que a definição das cores das edificações não influencia nas escolhas? Será que o nome do empreendimento também não pode ser um atrativo?

Pois é, continuo levantando questionamentos aos nossos leitores, insistindo no ponto de que devemos evoluir buscando um maior entendimento do mercado imobiliário, dos consumidores para quem projetamos, nos tornando mais críticos e desejosos por melhores produtos. E sem dúvida, permitindo que os compartilhamentos de alguns pontos de vista possam gerar novos questionamentos. 

Expedito Júnior
NOVA SERGIPE, Urbanismo para Negócios
IMMOBILE Arquitetura pensada
Arquiteto e Urbanista
Especialista em Gestão Urbana e Ambiental
CAU - RN: A39243-0